A gastronomia sempre esteve presente na vida do homem. Anteriormente, ela detinha a função de sanar uma necessidade básica de sobrevivência, hoje em dia, ela está inserida na sociedade como forma de identidade cultural, religiosa, social, étnica e geográfica. Com tanta representatividade, ela também dita tendências todos os anos. No ano de 2016 foram observadas as tendências de pratos orgânicos, cozinha sustentável, perfumados e – porquê não? – eletrônicos.

Pratos orgânicos – a cozinha orgânica entra em cena.

Há uma preocupação circulante na sociedade quanto à alimentação saudável. Diversas evidências científicas apontam para o consumo de alimentos orgânicos como fonte de saúde, despertando mais atenção dos consumidores à origem dos alimentos, distanciando dos fast-foods e alimentos processados, com mais aditivos, corantes e conservantes que a indústria utiliza. Desta forma, a valorização dos orgânicos é uma evidência também dentro do mundo gastronômico.

A cozinha orgânica, que possui respeito às safras e temperos, é bem comum em restaurantes mais tradicionais que prezam pela reunião entre amigos e familiares em torno de uma mesa provida de pratos que se utilizam de vegetais, técnicas artesanais e uma culinária que se apega à saúde. Afinal de contas, somos aquilo que comemos.

É observado dentro do cenário gastronômico um resgaste às técnicas de conservação e embutidos, temperos e condimentos do próprio restaurante. Os chefs estão buscando nessa tendência as suas próprias assinaturas, dando atenção aos produtos locais e foco no artesanal.

A sustentabilidade também está dentro da cozinha

A gastronomia sustentável vem ganhando espaço e adeptos dentro das cozinhas dos restaurantes. Em tempos de preocupação com o meio ambiente, a gastronomia não podia ficar de fora. Há um grande movimento mundial que elenca pontos básicos para a cozinha sustentável, tais como: saber a procedência do alimento, como ele é tratado, como o produtor trabalha, se utiliza agrotóxicos e fertilizantes, sobre o transporte e acondicionamento, insumo e aproveitamento. Todas as etapas são pensadas até chegar ao consumidor final.

Mais aromas, por favor!

Os condimentos e especiarias são grandes conhecidos de todos. Desde épocas remotas, eles foram tidos como bens caros e responsáveis por expedições pelo mundo afora. Com a revolução da perfumaria, certas práticas foram incorporadas à gastronomia, como apostas para a elaboração dos pratos. A lavanda é um exemplo, que vai bem em saladas de frutas, risotos e massas, além de ser perfeita para o verão. Outras apostas também são o eucalipto e o pinheiro.

Tecnologia no menu

A tecnologia já é um artigo na vida dos consumidores brasileiros, tanto que está presente no segmento de alimentação, com os cardápios eletrônicos. Esse tipo de modelo é bem-vindo em diversas formas de estabelecimento e formas de negócios, pois confere funcionalidade ao cliente e à empresa. A informação e a acessibilidade são os focos desse tipo de tecnologia, que permite interação e um melhor atendimento.

A gastronomia é uma forma de arte, a qual alimenta tanto o corpo, como a alma. O Restaurante Bonjardim pensa desta forma, e tem o compromisso de levar até seu evento um padrão de hotel com toda a estrutura, qualidade e comodidade que você precisa.